TEXTO DO LIVRO "VOZ DA ALMA"
Poesia e Prosa
de Rosimeire Leal da Motta Piredda

Editora CBJE - Rio de Janeiro - Brasil
Novembro/ 2005

 

Voltar para o Índice

O JOGO DA VIDA
Rosimeire Leal da Motta Piredda

(Nascemos e nos empurraram para a vida sem um manual de instruções. Podemos perder, empatar ou até mesmo ganhar.)

 

Correndo de braços abertos ele está.
Em seu rosto não há alegria, nem tristeza.
Está diante de uma platéia.
Se ele fez um gol e venceu o jogo
não há motivo interior para comemorar.
É sua obrigação.
No jogo da vida
não haverá ninguém para aplaudir.
As melhores alegrias guardamos para nós mesmos.
E quem se alegra com a vitória alheia?
A inveja não permite que muitos cidadãos
percebam a importância da vitória de outrem.
Mas, se o jogador está preocupado,
é porque ele se sente em dívida com o torcedor.
Está sendo pago para vencer.
A vitória não é dele, é do público.
Em seu rosto há cansaço e suor.
No semblante da platéia vitoriosa, há euforia e alegria.
Os últimos minutos finais do jogo
fazem com que o time adversário perceba a derrota.
O jogador não se atreve a olhar para a platéia perdedora:
compraram expectativas e receberam desilusões.
Para saber vencer é necessário saber perder.
Mas a derrota corrói o amor-próprio.
Aquele jogador corria de braços abertos,
como se os braços estivessem cheios de vitórias
e atirasse para a platéia vencedora o sabor do triunfo.
De súbito, deixa os braços caírem ao longo do corpo.
Cumpriu sua missão.
Sua vida pessoal não é triunfal,
mas, pelo menos,
pode fazer pessoas se sentirem triunfantes!

--------------------------------------------------------------------



Poesia - " O Jogo da Vida"
Texto Do Livro "Voz Da Alma"
Editora CBJE - Rio de Janeiro - Brasil -
Novembro/ 2005
Autora - Rosimeire Leal da Motta Piredda
 
 
\n