TEXTOS DO LIVRO "O CAIR DA TARDE"
Poesia e Prosa de
Rosimeire Leal da Motta Piredda

Editora CBJE - Rio de Janeiro - Brasil
Julho/ 2012

 

Voltar para o Índice

POESIAS DO CAIR DA TARDE
Rosimeire Leal da Motta Piredda

(Meu pai partiu desta vida no fim da tarde e nunca mais o encontrei ao amanhecer.)

 

Escrevo porque minha voz calou-se no peito.
Traço estas linhas com lágrimas.
O meu olhar, vermelho de chorar,
expressa o vazio.
São rabiscos,
tentativas de explicar a dor da saudade.
Persigo os rastros dos meus entes queridos,
seguindo suas pegadas deixadas em minha memória.
São letras borradas pela tristeza.
O passado, carcereiro cruel,
trancou a porta do tempo.
Meu semblante: versos jamais escritos,
espelho nítido do meu coração!
São poesias do cair da tarde:
à noite, vestida de luto,
declarando o fim da existência,
que escorrem dos meus olhos.
Fragrância de partida,
chuva fininha ao entardecer,
que, gota a gota,
umedecem esta folha de papel.

(Obs.: Poesia escrita logo após a morte do meu pai, Pedro Sabino da Mota - 1912/ 2007)

--------------------------------------------------------------------



Poesia - " Poesias Do Cair da Tarde."
Texto Do Livro "O Cair da Tarde"
Editora CBJE - Rio de Janeiro - Brasil
Julho/ 2012

Autora - Rosimeire Leal da Motta Piredda
 
 
\n