O TESOURO DO MEU CORAÇÃO
Rosimeire Leal da Motta Piredda

(Meu pai, pessoa de grande valor, guardei-o num porta-joias para que sua imagem fosse protegida do esquecimento; longe dos riscos que a ausência proporciona...)

(Obs.: Poesia escrita logo após a morte do meu pai, Pedro Sabino da Mota - 1912/ 2007)

Voltar
para o Índice


Texto Do Livro
"O CAIR DA TARDE"
Poesia e Prosa

Editora CBJE -
Rio de Janeiro
Brasil
Julho/ 2012

Algo como o vento o levou subitamente.
Sobressaltada saí por todos os cômodos a procurar,
por onde seguia o seu espírito!
Ao longe, vi uma porta aberta,
dando passagem a um ambiente cercado de neblina.
Foram os olhos da sensibilidade quem viram
e o entendimento fez rolar lágrimas de tristeza!
Aquela entrada se desintegrou lentamente,
fechando o acesso a sua presença!
0 ar em movimento,
desfolhou as pétalas dos seus dias vividos,
espalhando a sensação de vazio.
A urgência em conhecer os mistérios de Deus,
não lhe permitiu dizer adeus.
O sentimento de perda agarrou-me desesperadamente,
fazendo-me inclinar os joelhos no chão:
"Que homem há, que viva, e não veja a morte?" *
Separação física, saudades eternas.
Tudo o que ele foi,
está guardado no porta-joias do meu coração:
Uma mina de riquezas que o tempo não pode apagar!

* Salmos 89. 48

---------------------------------------------------------------


 

Poesia - "O Tesouro Do Meu Coração "
Texto Do Livro "O Cair da Tarde"
Editora CBJE - Rio de Janeiro - Brasil
Julho/ 2012
Autora - Rosimeire Leal da Motta Piredda