TEXTOS DO LIVRO "O CAIR DA TARDE"
Poesia e Prosa de
Rosimeire Leal da Motta Piredda

Editora CBJE - Rio de Janeiro - Brasil
Julho/ 2012

 

 

Voltar para o Índice

MALDADE!
Rosimeire Leal da Motta Piredda

(A inveja e a maldade são irmãs e sempre se unem quando alguém prospera ou é feliz: com o arco, aponta a flecha para acabar com a felicidade alheia.)

 

Janela em harmonioso estilo arquitetônico.
Possibilitava a ventilação e iluminação da sala.
Facilitava a visibilidade da paisagem exterior.
Vidros grandes, transparentes e delicados:
era o mais belo nesta abertura na parede!
Brilhavam como um cristal!
Tinha a alma sensível.
Eram olhos que visualizavam o jardim, a vida!
O proprietário do imóvel sentia muito orgulho.
De repente, ouve-se um som de choro, dor!
Vidro partido!
Espalharam-se pela calçada, cacos!
O vento passou correndo
com um zumbido gargalhado.
Foi ele!
Atirou uma pedra na vidraça,
destruiu a felicidade de outrem!
Era frágil, quebrou-se com facilidade!
Foi despedaçada e ferida!
Colaram os fragmentos,
porém, sua aparência agora era imperfeita, aleijada.
Racharam seus sonhos,
entortaram sua visão,
danificaram uma obra-de-arte!
E tudo por causa da inveja.
Maldade!

-------------------------------------------------------------------


 
 

Poesia - Maldade!
Texto Do Livro "O Cair da Tarde"
Editora CBJE - Rio de Janeiro - Brasil
Julho/ 2012
Autora - Rosimeire Leal da Motta Piredda
   
 
\n