SONHOS PERDIDOS
Rosimeire Leal da Motta Piredda

(Às vezes nos comportamos como um pescador e ficamos horas tentando pescar algo em nossas vidas que realize os nossos sonhos, mas nada encontramos porque o tempo de espera não foi suficiente. Nos decepcionamos e parece que está tudo acabado ...)

Voltar
para o Índice


Texto Do Livro
"O CAIR DA TARDE"
Poesia e Prosa

Editora CBJE -
Rio de Janeiro
Brasil
Julho/ 2012

Lancei a linha e o anzol,
no mar do meu coração,
para recuperar os meus sonhos perdidos.
Esporte da paciência,
da espera continua.
Isolada no oceano da esperança,
os sons das ondas e do vento distraíram-me....
deixaram-me sonolenta.
Fisguei a porta do meu subconsciente!
Assustada, puxei a linha com força,
iluminando minhas experiências da imaginação.
Metáforas e símbolos flutuaram em minha mente,
fazendo-me ver a realidade do meu inconsciente:
momento psicológico de mim!
Aspectos da vida emocional olharam-me nos olhos,
usavam uma linguagem própria!
Subitamente surgiu uma fumaça,
alastrou-se um fogo realista!
Era um pesadelo e eu dormia agitadamente.
Acordei sobressaltada: o meu barco virou!
Cinzas voavam ao redor de mim.
Anseios interiores choravam inconformados:
meus ideais foram queimados,
destruídos pelos desenganos da vida...

---------------------------------------------------------------


 

Poesia - Sonhos Perdidos
Texto Do Livro "O Cair da Tarde"
Editora CBJE - Rio de Janeiro - Brasil
Julho/ 2012
Autora - Rosimeire Leal da Motta Piredda