NINGUÉM ME EXPLICA
Rosimeire Leal da Motta Piredda


 

Voltar
para o Índice

Texto Da Antologia
"Feira Literária 90 Anos
Herculano Vieira"
Classificação 4.º Lugar
Diversos Autores
Celeiro de Escritores
São Paulo
2017

.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*

 

Tantos sonhos!
Pensei, somente poderei realiza-los além-mar.
Uma Caravela cruzou meu caminho.
Ela é perfeita para viagens de descobrimento:
rápida, fácil de manejar!
Entretanto, um vento forte a desviou da rota original.
Quase me perdi pelo oceano da existência!
Decidi utilizar os remos,
tentativa de conduzir minha própria vida.
Olhem, piratas!
Não usavam espadas, nem pistolas!
São as doenças!
Invadiram o meu ser para roubar minha individualidade.
Sequestraram a minha saúde,
porém, até o momento não pediram nenhum resgate.
Passaram-se muitos anos e ela ainda espera a liberdade.
O meu bem-estar foi detido pela moléstia.
Aguardo o estado de equilíbrio dinâmico de viver:
a boa disposição física e psíquica!
Não há espaço para ser Eu nesta estagnação,
de depender da compreensão da medicina!
Parti, contudo, o passeio foi interrompido. Voltei.
Por que fiquei enferma?
Ponto final ou talvez algum dia?
A cura virá por Aquele que é o médico dos médicos!
Mas, ninguém me explica,
o porquê da minha história ter tomado este rumo.
Uma interrogação contínua!
Mudar o meu destino está além do alcance humano.

---------------------------------------------------------------